Notícias

22/10/2018 00:19

Quem cuida do cuidador? Reflexão necessária!

“Médicos não adoecem. Quem já ouviu essa afirmação?

O médico é um péssimo paciente.

E essa outra:  a Medicina está doente!

Quem não ouviu essas frases ainda?

Sim, é  uma  temática  importante e preocupante. Sabe por que?

Talvez não saiba, o índice de suicídio entre médicos é significativo e também entre estudantes de Medicina.

Eis a pergunta: Quem cuida do cuidador?

Quem cuida dos cuidadores quando eles não estão  bem?

Quando um cuidador adoece,  quem cuida dele, onde ele busca forças e energia? O cuidador trabalha com sua energia. Ouvir, acolher, respeitar e cuidar demandam enorme energia. Cansaço após uma tarde de atendimentos ou uma jornada de plantão e o stress alto em muitas situações críticas impactam  na saúde do cuidador.

De 19 a 21 de outubro tive o privilégio de participar do módulo Saúde no primeiro Seminário Sistêmico de Mato Grosso  e também como programação do Curso de Pós em Abordagem Sistêmica Fenomenológica, que estou concluindo em novembro. Uma idealização primorosa do Instituto OCA, referência em constelações familiares e organizacionais em Mato Grosso, conduzido de forma brilhante pela terapeuta  Gianeh Borges e pelo advogado terapeuta Carlos Borges.

O professor convidado foi um colega de profissão de Campinas, São Paulo, o também ginecologista obstetra sistêmico Dr. Adailton  Salvatore Meira. Ele nos brindou com conhecimento de imensa profundidade.

Dr. Adailton reforçou  a importância do cuidador se cuidar antes de cuidar do outro, de manter a sua saúde, seguir boas práticas de saúde, gestão de sua vida e ter qualidade de vida.

A senha é buscar o equilíbrio em todos os setores da roda da vida: o profissional, o pessoal, relacionamentos e qualidade de vida. 

Antes de curar os outros, o cuidador (seja terapeuta, psicólogo, enfermeiro, etc..)  deve olhar para si mesmo e curar o que está pendente em si. Não é bem isso o que geralmente ocorre, não raras vezes há um olhar para o outro analisando, criticando, corrigindo e sugerindo melhorias, sempre vale para  o outro.  E nós mesmos?

Os desafios para o cuidador - O cuidador defronta-se com três desafios. Primeiramente olhar para dentro de si com a mente livre de preconceitos. O segundo desafio é olhar para o outro com Amor, sem  julgamentos, sem considerar o certo e o errado. O último desafio é cuidarmos de nós mesmos, estabelecendo limites. Aprender dizer não é fundamental nessa jornada.

Olhar para dentro de nós mesmos implica em superar a auto sabotagem que pode existir. O subconsciente ou inconsciente domina as nossas ações e atitudes, muitas vezes em 90% das vezes.

Ou seja, são apenas 7% de gerenciamento consciente de nossas ações, emoções, reações e decisões. Esse sabotador interno impede ou dificulta a visão do que está diante de nossos olhos. “Isso implica em você não ser você mesmo e que não tenha consciência do seu eu”, pontuou o Dr. Adailton Meira.

Como o cuidador pode ser curar? Quais são os fatores que ajudam o cuidador a se curar, a se enxergar, se analisar? O primeiro fator e o mais importante, é o desejo sincero de trazer à tona seus sentimentos e emoções. O problema é que sua mente não vai liberar fácil  o acesso à própria criança ferida.

Somente após muita insistência se conseguirá tal acesso. Assim o segredo é desejar ardentemente, com o coração, repetindo o desejo diariamente, incansavelmente, até acessar o tão sonhado território sagrado.

Neste percurso as feridas serão tocadas, as dores revisitadas, após o mergulho a alma é curada e ficará pronta para olhar e acolher com amor o que precisa de seus cuidados.

O segundo fator é olhar para si mesmo com amor. Sim, amor puro, incondicional, não dependente do que a pessoa faça para amar mais ou  menos, ideal é como se fosse  amor de mãe e de um pai pelo filho.

Este amor implica em aceitar todas as coisas e  as pessoas exatamente como são, a começar por você mesmo. Sem se comparar com um ideal, perfeccionismo, sem julgamentos pesados.

O terceiro fator é lembrar de todos os excluídos de sua própria família quando for constelar. Pois se assim o fazemos abrimos  caminhos para que os excluídos sejam incluídos no trabalho, isso resulta em cura dos sistemas a serem constelados. É um ato de humildade e de amor ao mesmo tempo. Quando não o fazemos dificultamos os processos seguintes.  

Cuidador cuida de todos facilmente, quando é hora de cuidar de si mesmo é mais difícil encontrar "tempo", ele tem dificuldade de dizer não e  estabelecer limites. Cuidar de si é estabelecer uma rotina saudável, desde que acorda, para que tenha saúde, felicidade, satisfação e realize sua missão com prazer e autenticidade.

Os ensinamentos do Dr. Adailton Meira reverberam em minha mente e coração. Foi um momento de cura para todos os cuidadores presentes ao seminário. Essa aprendizagem vale para todos que diariamente lidam com pessoas, sejam professores, profissionais da saúde, entre outros.

Olhar de forma ampla para o ser humano, levando em conta sua história e sentimentos, é sempre um caminho acertado.

Gratidão por tantos valiosos aprendizados, levarei comigo para sempre" - Dr. João Félix Dias – Ginecologista Obstetra em Cuiabá.

Com fotos e edição da jornalista Creuza Medeiros


T tulo fixo
T tulo fixo
T tulo fixo

Endereço

Rua Alberto Velho Moreira, 220
Bandeirantes
Cuiabá / MT

Telefones

65 3623-9135
65 99681-9135

Atendimento Imprensa

65 99972-8268

T tulo fixo
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo